Histórias & Crônicas: DO SALTO ALTO A UMA ESCRIVANINHA DE ESTUDOS

Pe. Joacir d’Abadia*
Pe. Joacir d’Abadia*

Pe. Joacir d’Abadia*

Um dia uma menina lia um livro. Estava sentada em uma cadeira e usava uma pequena mesinha para apoiar seus livros e outros mais. Seus sapatos de Salto Alto, estavam colocados ao pé da mesa, um ao lado do outro. Seus pezinhos balançavam soltos ao ar a medida que aprofundava na leitura. Com os olhos fixos nas palavras que lia, a menina criava em sua imaginação todo o cenário reproduzido naquelas páginas.
Às vezes, cantava. Noutras, meneava a cabeça para um lado e para o outro, formando um compasso de dança com o pescoço. Seus dedos, não raras às vezes, pareciam deslizar por sobre as teclas de um piano. Seu mundo estava construído. Ela estava distante. Tinha viajado com a consciência do autor do livro.
Passou por bosques floridos, atravessou pequenos riachos, os quais lhe molhava os pés, foi em direção a uma goiabeira que estava tomada de frutos saborosos.
Continuou sua viagem.
Tudo que enxergava era novo.
Seus olhos brilhavam na vislumbra de tudo aquilo que ia vendo pelo caminho até que, de repente, passa na rua de sua casa um carro de som bem potente, usando o volume no mais alto possível anunciando um candidato. Falava apenas o NOME e o NÚMERO do Candidato. Com isso, aquela menina foi despertada de sua viagem intelectual. Logo observou outro carro de som que vinha mencionando mais candidatos. E, por sua infeliz sorte, passa um trio elétrico cheio de gente soltavam foguetes, buzinando e balançando bandeiras estampadas com o rosto e o número de Políticos.
Ela foi, descalça, até o portão de sua casa para tentar ver toda aquela fanfarra. Não conseguia ver sobre o portão nem mesmo erguendo-se nas pontas dos dedos. Nisso ela imaginou que se buscassem os sapatos poderia ver. Mesmo assim, não conseguiu. Colocou um sobre o outro e subiu em cima dos sapatos, porém não pôde ver mais a carreata. Ela já tinha passado. Indignada, ela diz, voltando para seu aposento de estudos: _ “que pessoas baixas! Não seriam tão baixas se estivessem estudando”.
Todavia, ao chegar a sua escrivaninha de estudos, ela sacou uma folha em branco e começou escrever…
O desejo de ser grande faz das pessoas pequenas gente muito grande. Elas ficam do tamanho que podem ficar. Mas cresce a todo o tempo. Está sempre se fazendo grande.
O que leva uma pessoa pequena se tornar grande?
Alguns, olhando ao que foi dito, pode dizer que o Salto Alto deixa a pessoa grande. Se ela subir em qualquer suporte a deixará grande. É uma pena pensar assim!
Uma pessoa pode ter sua estatura medindo uns dois metros, no entanto, se não tiver dentro de si objetivos grandes, ela se torna uma pessoa pequena. Não existe pessoa pequena ou grande. O que existe é a pessoa. Ela será grande se dentro de si tiver o desejo de grandeza. Cada pessoa é do tamanho do seu sonho.
O Salto Alto é apenas um artifício para deixar uma pessoa maior.
Para crescer na vida é preciso usar muitos artifícios. Seria, por exemplo, subir em uma cadeira ou mesa; galgar uma escada? Como o homem é inteligente ele pode usar diversos meios para tornar-se grande.
Em um ditado popular diz: “se você quer dar um pulo bem grande, basta subir em um suporte bem alto”. Estes Candidatos, em suma, subiram no SALTO da Ignorância, o pulo deles serão Leis que nos tirarão da mesinha de estudos.
Pe. Joacir d’Abadia é Pároco em Alto Paraíso-GO e escritor, autor de 8 livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *